Viagem à Rússia. Roteiro de 5 dias pela encantadora São Petersburgo.

Olá pessoal, tudo bem? Hoje irei compartilhar aqui meu roteiro de 5 dias em São Petersburgo, Rússia, e todas as minhas memórias sobre a cidade.

Ao contrário da Suécia, eu não tinha muitas expectativas em conhecer a Rússia, só achava que seria legal. Inicialmente ficaríamos 2 dias na Rússia, pois faríamos um cruzeiro pelo mar Báltico que, na última hora, acabou cancelado pela empresa responsável. Mas, acredito que tudo tem um porquê e foi realmente maravilhoso nosso tempo em São Petersburgo.

Dia 1 – Chegada em São Petersburgo. Chegamos em São Petersburgo pelo aeroporto, à noite, vindo de Estocolmo com conexão em Riga, Letônia. E foi uma chegada um tanto diferente. Como era a noite e era a “famosa” Rússia, tivemos certo receio de utilizar o transporte público logo na chegada. Então, compramos o traslado para não ter problemas. Resumidamente, esperamos um tempão no aeroporto porque não encontrávamos o nosso motorista, ligamos para o hotel que falou que havia uma pessoa nos esperando no saguão. Encontramos ele e sem nenhuma ajuda com malas fomos mudos até o hotel, pois o homem não falava inglês. Descobrimos posteriormente, que o nosso sobrenome estava escrito em russo, na placa de identificação do motorista, por isso não achávamos ele! Jantamos no Hotel mesmo para não ter erro.

Dia 2 – São Petersburgo. Na manhã seguinte, fomos desbravar a cidade felizes da vida por poder conhecer um pedacinho da lendária Rússia. O Asteria Hotel era bem localizado. Então, não utilizamos meio de transporte, apenas caminhamos. A primeira coisa que fizemos foi comprar a moeda local, Rublo Russo. Trocamos tranquilamente num banco oficial próximo ao hotel. Rublos guardados fomos margeando o Rio Fontanka (afluente do Rio Neva) até uma das atrações turísticas de São Petersburgo, a Ponte dos Cavalos ou Ponte Anitchkov. A partir dela, para os dois lados, fica a famosa Avenida Nevsky Prospekt. São Petersburgo tem largas e enormes avenidas, cheias de vida. Lado escolhido, caminhamos rumo à Casa Singer, que fica no segundo piso do antigo prédio da fábrica de máquinas de costura com o mesmo nome. Lembram? Almoçamos ali mesmo. Em frente ao Café fica a Catedral da Nossa Senhora de Cazã. As igrejas ortodoxas são muito diferentes do que estamos acostumados a ver na igrejas católicas. Seguimos o passeio até a Catedral do Sangue Derramado que tem esse nome pois foi construída no local onde o Czar Alexandre II da Rússia, vítima de um atentado, foi morto. Sem querer, esbarramos em numa cafeteria fofa, Bakery F. Volcheka, um café super tradicional. Existem várias espalhadas por São Petersburgo. Caminhamos nos arredores do Museu Hermitage e terminamos a noite no Hotel. Ufa, foi uma caminhada e tanto!

Dia 3 – São Petersburgo. Dia de conhecer por dentro o magnífico Museu Hermitage, considerado um dos maiores museus de arte do mundo. Reserve um tempo considerável no seu roteiro para apreciar toda a beleza desse complexo. Compramos o ingresso pela Internet, válido por um dia para visitar o Prédio do Palácio de Inverno e o Estado maior (para quem compra o ingresso on-line, a entrada é pela lateral do prédio e não pela entrada principal em frente à praça). Existem preços diferentes para o tipo de visita que você deseja fazer. Após um longo tempo admirando as obras de arte, voltamos à Avenida Nevsky Prospekt. Dessa vez, fomos para o lado contrário ao dia anterior. Nos deparamos com pessoas fazendo balas na vitrine da loja Volshebnaya Karamel (Волшебная Карамель). Não resisti e entrei. Claro, comprei balas! Seguimos em direção ao Galeria Shopping Mall e passamos por diversas lojas de souvenirs. No final do dia, jantamos em uma pizzaria, Iskra, super moderna próxima ao nosso Hotel.

Dia 4 – São Petersburgo. Cansados de tanto caminhar, decidimos entrar em um ônibus turístico (hop-on hop-off). Passeamos por algumas atrações turísticas que já havíamos visitado para então chegar ao Museu da Vodka. Claro que fizemos a degustação! São três tipos de vodkas diferentes devidamente acompanhadas com seus petiscos. Saindo dali, entramos no restaurante Steak House Stroganoff e, finalmente, provamos o verdadeiro estrogonofe. A comida era uma delícia e o atendimento espetacular! Retornamos ao ônibus e continuamos o tour até a Catedral de Santo Isaac. Como já era tarde, não entramos para conhecer. fizemos uma pausa para o café e acabamos perdendo o último ônibus das 17h. Voltamos caminhando para o Hotel… muito frio! Antes de voltar caminhando, avistei uma linda carruagem. Sim, em São Petersburgo você pode passear de carruagem como uma princesa num conto de fadas!

Dia 5 – São Petesburgo. Último dia. Dia livre para comprinhas e arrumar as malas para a próxima parada. Entramos na galeria Nevsky Centre para conhecer e principalmente se aquecer. No último piso, tinha um restaurante similar a uma praça de alimentação super legal, Obed Bufet. Tinha uma variedade enorme de pratos e culinária internacional e ainda tinha uma parede com drafts de vinhos. Eu queria morar ali! Perdemos algumas horas dentro da galeria. Ao longo na Avenida Nevsky Prospekt, nos deparamos com diversas atrações turísticas. Monastério Alexandre Nevsky, Palácio Beloselsky-Belozersky, Palácio Anichkov, Praça Ostrovsky, Teatro Alexandrinsky, Biblioteca Nacional da Rússia, Gostiny Dvor (uma das primeiras galerias comerciais do mundo! Muitos souvernis!), entre outras. Dá para fazer um roteiro só por essa avenida! Para fechar nosso passeio por São Petersburgo, uma pausa e para tomar café num lugar ostentação. A vitrine do Eliseyev Eporium Coffee Shop é um espetáculo à parte. Um lugar chique, imponente, elegante e delicioso. De café a bebidas alcoólicas o lugar é cheio de requinte e coisas que você não precisa, mas quer muito comprar!

Até breve. Gi

top spot

O restaurante Obed Bufet comida boa e um preço justo. O lugar é super moderno e você pode comer do café da manhã até a janta.

feelings

Visitamos São Petersburgo em Novembro de 2019, a temperatura variou entre 3 a -5 graus, com sensação térmica de -12 graus. Caminhar pelas avenidas e explorar a cidade foi uma experiência congelante e, ao mesmo tempo, uma grata surpresa para mim. A comunicação não é das melhores, pois poucas pessoas falam o inglês. Em compensação, eles fazem de tudo para compreender e te ajudar. É um povo muito solícito. Tem internet wifi em todos os lugares mas, para se conectar, precisará de um celular que receba Sms (você faz um cadastro rápido e eles te enviam um Sms com o código para o acesso). Não utilizamos o transporte público. O Google maps não funciona aquela maravilha (bloqueio russos padrão rsrs!). Em comparação com a Suécia, a comida era muito barata e, claro, muito saborosa. Nas fachadas dos prédios não há aquela poluição visual que estamos acostumados a ver nos grandes centros. E, quando tem propaganda, está tudo escrito em Russo, nada em inglês! Os Russos tem uma maneira diferente da nossa de estacionar os carros. Tem carro estacionado em cima das calçados e virado para lados diferentes compartilham a mesma rua. O carro é estacionado do jeito que dá, mas não chega a prejudicar a circulação.

info

O Mar Báltico está geograficamente posicionado no norte da Europa, envolto pela península Escandinava, Europa Continental e as ilhas Dinamarquesas.

A Ponte Anitchkov (Аничков мост), ou Ponte dos Cavalos, foi a primeira no rio Fontanka. Ela foi construída entre 1841 e 1842 e reconstruída entre 1906 e 1908. A ponte possui quatro grandes esculturas de cavalos, por esse motivo o nome.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s